O Natal sempre foi uma festa pagã.


Festa Mitraica — Também chamada de Natalis Solis Invicti — o “Nascimento do Sol Invencível”. Essa festa pagã era voltada ao culto a Mitra, deus-sol dos persas. Mitra era um deus guerreiro que sacrificou um touro sagrado, cujo sangue, consoante a crença, serviria para redimir seus eleitos. As primeiras referências a Mitra o datam em torno de 1400 a.C., na literatura persa, como o deus-sol ariano. Logo, Mitra era o deus-sol, em que seus adeptos celebravam o seu nascimento em 25 de dezembro, no solstício de inverno. A crença no deus-sol, Mitra, foi trazida para o império romano pelos soldados que lutaram na região de Babilônia — Pérsia, atual Irã, pois lá o escolheram como protetor. Depois disso, Mitra chegou a ser um dos principais deuses do panteão romano (templo pagão dedicado a vários deuses). No dia 25 de dezembro, entre rituais, orgias, comilanças, bebedices, cantatas e velas era aclamado o “nascimento do sol invicto” — Mitra.[10]

Por conta disso, hoje em dia, há muitas práticas utilizados no Natal que possuem origens essencialmente pagãs das festas suprarreferidas.
O Imperador Constantino Magno — fiel e devoto seguidor do deus-sol Mitra — decretou, em 313 d.C., que o dia 25 de dezembro seria a data do nascimento de Jesus. Fez assim porque o aniversário de seu deus — Mitra, o “Sol Invencível” — era comemorado no dia 25 de dezembro. Ao passo que a Enciclopédia Barsa atesta que, no calendário cristão mundial, a festa do Natal foi decretada oficialmente à Igreja pelo bispo romano Libério, no ano 354 d.C.; isto é, mais de 200 anos após a morte do último apóstolo — João. Em 1870, a data foi denominada como feriado nacional. Por conseguinte, “o Natal não constava entre as antigas festividades da Igreja […] Não foi instituída por Jesus Cristo nem pelos apóstolos, nem pela autoridade bíblica. Foi tomada mais tarde do paganismo” — Enciclopédia Britânica, edição de 1946.
Apesar de termos sidos batizados no Cristianismo involuntariamente, hoje somos pagãos e adoramos o Deus Sol (“Natalis Solis Invicti :(“nascimento do sol invencível”), Desejamos um Feliz Natal á Todos.

Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para O Natal sempre foi uma festa pagã.

  1. Rita Maria Brito Santos disse:

    Sua bênção. O senhor sempre alimentando o nosso conhecimento e fé. .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s